terça-feira, 15 de abril de 2008

Desabafo de um Técnico de Segurança

Se compararmos a Segurança do Trabalho a anos atrás veremos que a área teve uma crescimento muito grande, quase que assustador. Onde que as empresas "aos poucos" estão tomando consciência da importância deste setor para o andamento e êxito na sua produção. Mas, infelizmente ainda existem muitas empresas que enxergam o setor de Segurança do Trabalho como um setor só de gasto, com profissionais que "não fazem nada". Esquecendo assim do custo-benefício que a Segurança do Trabalho proporciona!
Recentemente recebi por email sobre um desabafo de um técnico de Segurança do Trabalho de São Paulo e achei interessante, e ao mesmo tempo infeliz por concordar com a verdade que ele expôs. (Segue abaixo a carta):

"Esta carta foi enviada por um Técnico em Segurança do Trabalho do interior de São Paulo a uma revista voltada para Segurança do Trabalho. O autor pede que seu nome seja mantido em sigilo por motivos óbvios, pode servir de porta–voz para muitos profissionais que estão hoje espalhados pelo país:
Que profissão é esta de técnico de segurança? Você se arrebenta de pregar no deserto. Só te ouvem depois da desgraça consumada, mas aí é para xingar-te e te ofender. Pedem esclarecimentos, relatórios, fichas de investigação, análises, gráficos, desenhos, estatísticas, etc. Mas só depois de ocorrer o acidente.
Mecânicos e eletricistas criam verdadeiras armadilhas dentro de uma fabrica. Pensam na manutenção, nos reparos, nas gambiarras (provisórias) de determinados equipamentos rapidamente, pois a produção não pode parar. Mas não sei se por negligencia, preguiça ou burrice, esquecem do bem estar do homem.
Você conversa, dialoga para arrumar estas verdadeiras arapucas que eles criam e só ouve reclamações do tipo " não tenho gente, estou com acumulo de serviços. Isso é problema da Segurança". Você vai falar com o supervisor e ele diz: " Nós vamos arrumar, tenha calma. Quando der um tempinho....". Haja tempo e paciência.
Você se desespera e envia memorandos e Cis à gerencia e a todos os envolvidos. Aí é um Deus nos acuda. Dizem que não é assim que se resolve o problema, que é preciso conversar, dialogar, não criar inimizades, que temos que ir devagarzinho. Ou então: Negocie, tente mudar estas mentes retrógadas. Fale, pregue, oriente, conscientize de todas as maneiras possíveis e imagináveis.
Salários de manutenção e produção sempre estão em ascenção. Para eles tem política salarial, enquadramento de função, promoções, melhorias de quadro. Mas para o técnico de segurança o que determina é o piso da categoria profissional, que está muito aquém de um torneiro ou mecânico de manutenção.
Tô cheio moçada. Quando que isso vai mudar? Estou cansado de ouvir : " se na tua empresa não te dão apoio, cai fora". Mas ir para onde, fazer o que nesse mar de desemprego?
Serviço de Segurança para ter bom desempenho e sucesso necessita do apoio de todos, mas principalmente das gerencias. Não só apoio e colaboração incondicional. O negocio é vestir a camisa. De que adianta apoio verbal entre quatro paredes, mas desprestigio no resto da fabrica.
Acabamos sendo um João Ninguém, que só reivindica e reclama e gera despesas de novos EPIs.
Treinamentos, congressos, feiras "se quiser, vá. Mas por sua conta, se vire". Enquanto isto, para outras chefias e técnicos, fazem até cursos em países do primeiro mundo, tudo por conta do empregador. O Técnico de Segurança nunca é convidado para nada. Só para resolver problemas é lembrado.
Nesta área tem muito blá-blá-blá, mas na hora H todos pulam fora e dizem que isto não é comigo. "Isto é problema do técnico de Segurança". Não é não. É problema de todos nós".

2 comentários:

francine rosa/bauru disse...

puxa, lastimável!
e eu estava tão entusiasmada para fazer o curso...

Anônimo disse...

Bom dia li está matéria no dia 12/05/2008, sou técnico de segurança do trabalho concordo plenamente com o colega que este desabafo.
Trabalho na área de linha de transmissão e as dificuldades são as mesmas ou piores, o pensamento dos chefes são só produção. Já fiz varias inimizade na empresa que trabalho não por minha culpa mas por fazer segurança, graças a DEUS e a uma engenheira de segurança que igual a ela ainda não vil igual, que briga e defende a segurança do trabalho, terminamos a nosso obra com nem um óbito graças a DEUS e nossa engenheira e alguns técnicos, que tem outro técnicos que seria melhor trabalhar como encarregado de produção não como técnicos de segurança do trabalho.
No final da obra teve um premio para todos os funcionários da empresa adivinha qual área que não recebeu esse premio???

O SEMT

Não é de entristecer tem que mudar isto deveríamos fazer greve todos nós, tenho certeza que daria resultado mas nossa classe é muito desunida e o nosso sindicado de ..........................
Desculpas mais também já estou cheio disso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



Posso pecar por excesso de segurança mais não por falta

Meu imail é eliasnacim@hotmail.com